Como testar uma ideia de negócio antes de realizá-la?

1 de agosto de 2019 / por Pappo Estratégia e Criação

Ter uma ideia de negócio pode ser algo de se tirar o sono. Explico: todo futuro empreendedor que fez sua lição de casa direito sabe que depois da ideia existe muito trabalho para ser feito, bem como investimentos financeiros. É aqui que surgem os “serás”….

Será que isso vai dar certo?

Será que vai ter mercado?

Como será que posso melhorar isso?

E, finalmente, como posso ter certeza, ou pelo menos uma prova, de que essa ideia tem chances de sucesso?

Graças à novas tendências e formas de empreender, essas dúvidas podem, se não respondidas por completo, mostrar um caminho mais certeiro para a realização das ideias. Então, se você se pergunta como testar uma ideia de negócio, preste atenção nos próximos parágrafos.

Gostaria de alertá-lo, antes de tudo, que esse é um passo a ser feito ANTES do plano de negócios. Um plano bem elaborado requer pesquisa e tempo de desenvolvimento. Não preciso lembrar que tempo é dinheiro, né? Então, antes de mais nada, o passo imediato após se ter uma ideia é testá-la, analisá-la e testá-la de novo se preciso.

O teste, ou validação de ideias, é uma etapa fundamental para startups, empresas que se desenvolvem buscando o máximo de eficiência e aprendizado em relação ao cliente. Veja abaixo algumas formas de se fazer isso.

 

Como testar uma ideia de negócio com eficácia?

 

Cada ideia tem suas características, principalmente quando se trata de algo super inovador. A maneira como uma ideia será testada depende muito de suas características, se é produto ou serviço, público-alvo, forma de comercialização e etc. O que você precisa ter em mente, para começar, é que por mais incrível que uma ideia seja em seu formato inicial a mudança em muitos casos é inevitável. Então, a primeira dica é:

 

Não fique obcecado com a ideia inicial.

Por melhor que ela possa ser, na prática as coisas mudam de figura, e, talvez, seja necessário adaptar algum ponto ou reformular a ideia inteira para que seja possível transformá-la em um negócio lucrativo.

Se você já tem uma noção do que será o seu negócio significa que já existe um mercado pré-estabelecido, então:

 

Pesquise e conheça detalhadamente o seu mercado.

Todo produto ou serviço gira em torno de um mercado alvo. Quanto mais e melhor for o conhecimento no seu mercado de atuação maior as chances de melhorar continuamente sua ideia e entregar algo diferente do que já existe. Uma boa ideia é criar um formulário de pesquisa e tentar engajar o máximo de pessoas possíveis para respondê-lo, ou ainda usar a ferramenta de palavras-chave do Google para pesquisar a quantidade de pesquisa mensal dos termos referentes a seu negócio.

Além disso, com tanta informação é possível passar para uma outra tarefa:

 

Construa um produto ou serviço mínimo.

Independentemente se a sua ideia é um produto ou serviço, o resultado final, o que será entregue para o cliente deve ser testado com rigor, e o motivo é simples. Se o produto ou serviço for ruim, de nada adiantará fortunas investidas em produção, comunicação ou vendas.

Invista em uma versão inicial do seu produto, ou um modelo inicial do seu serviço. Após essa confecção mínima, que pode ser uma pequena tiragem, uma versão simplificada ou até um modelo de teste é hora de buscar a opinião de quem verdadeiramente interessa.

 

Procure entre seu público alvo seus primeiros clientes (ou early adopters).

Use a versão inicial/simplificada do seu produto ou serviço para buscar os primeiros clientes e aprender com eles. Você pode comercializar, ou – se sua estratégia permitir – oferecer gratuitamente, para amigos, família e vizinhos; atuais clientes; ou até buscar pessoas desconhecidas através de anúncios testes simples em redes sociais e etc.

Não tenha medo de perguntar a opinião deles, de saber como seu produto poderia ser melhor, se ele satisfaz todas as necessidades. Identifique todos os pontos forte e fracos e trabalhe em cima deles.

 

Teste diferentes formas de comunicação e vendas.

Além do teste de produto e avaliação dos possíveis clientes, essa fase de testes pode ser aproveitado para a construção da forma como seu produto será apresentado e até vendido. Se enquanto procura seus primeiros clientes você usará rede social, site, blog, ou alguma ferramenta de comunicação, você pode aproveitar para trabalhar peças publicitárias com chamadas diferentes, e ver qual atrairá mais o seu público.

 

Coloque seu modelo de negócios em cheque.

Toda empresa precisa de um modelo de negócios. Em resumo, ele é o conjunto de características que regerá a sua organização, incluindo a forma como ele será comercializado. Por exemplo, existe o modelo de negócios de franquias, de assinaturas, de classificados e etc. Se você pensa em criar um modelo de negócios inovador, necessariamente precisará que o mercado poderá embarcar na sua ideia.

 

Saiba o que está buscando e analise todos os resultados.

Por fim, quem está buscando formas de testar uma ideia deseja, na etapa final, identificar se a ideia funcionará e valerá o investimento ou perceber pontos a serem melhores estruturados. Ainda, se o resultado foi catastrófico, uma transformação total da ideia pode valer a pena. Então, antes de cada etapa de teste esclareça uma pergunta que o teste deverá responder. Dessa forma será fácil de identificar os dados necessários em cada análise.

 

E lembre-se: esse processo deve ser repleto de ação.

 

Pense sempre em formas simples (simples, não relaxadas) de testar a sua ideia e extrair as informações necessárias. Em alguns casos, você pode, até mesmo, testar a demanda da sua ideia sem ter um produto ou serviço pronto, através de um cadastro de pessoas interessadas.

As possibilidades de testes são inúmeras, e tudo depende do que você deseja para o seu negócio.

Quer saber mais sobre todo esse processo? Recomendamos a leitura do livro Lean Startup (A startup enxuta).

1 comentário

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *